Carta de condução para autocaravanas e outras dicas para uma viagem sem sobressaltos

Na Roadyng estamos sempre a mostrar novos roteiros e formas de explorar as estradas através das nossas soluções, equipadas para que tudo corra da maneira mais espetacular possível. Entretanto percebemos que quando se planeia uma Road Trip, surgem algumas dúvidas de forma recorrente, por exemplo, sobre a carta de condução para autocaravanas e quais os requisitos e regras para as conduzir…

Vamos dar uma vista de olhos no código da estrada para deixar os viajantes melhor informados antes de abordar os tipos de carta, novas leis em vigor, e mais alguns extras, como a indumentária do condutor e também dicas preciosas para quando o cansaço involuntariamente recai sobre quem vai ao volante. Acreditamos que é importante relembrar que é imperativo praticar uma condução segura.

Carta de condução para autocaravanas, a minha serve?

Em 2012 a Associação do Comércio de Automóvel de Portugal, ACAP, juntamente com a FPA, Federação Portuguesa de Autocaravanismo, trabalharam juntas para que uma nova legislação surgisse e cobrisse esta nova forma de mobilidade que vinha a ganhar força. Houve então, publicado no Diário da República, o Decreto-Lei nº 138/2012, de onde vamos destacar o Artigo 21.º:

2 — A condução de veículos com massa máxima autorizada superior a 3500 kg e até 4250 kg pode ser exercida por titulares de carta de condução da categoria B com mais de 21 anos e pelo menos 3 anos de habilitação naquela categoria desde que esses veículos:

  1. Se destinem exclusivamente a fins de recreio ou a ser utilizados para fins sociais prosseguidos por organizações não comerciais;

  2. Não permitam o transporte de mais de nove passageiros, incluindo o condutor, nem de mercadorias de qualquer natureza que não as indispensáveis à utilização que lhes for atribuída.

Observamos que as cartas de categoria B podem conduzir as autocaravanas, a mesma requerida para automóveis, desde que os condutores tenham pelo menos 21 anos, carta há pelo menos 3 anos e não excedam os limites de peso e de passageiros, 9 no total. Cidadãos não-europeus devem ter atenção à correspondência de sua carta no território onde estão a dirigir, com uma licença internacional.

As cartas de condução de categoria C e acima já abrangem veículos pesados de mercadorias ou mesmo maior número de passageiros, de forma que estão habilitados para a condução das autocaravanas. Podem também atrelar um reboque de até 750 kg, sendo que nas categorias C1E e C os limites de reboque são mais extensivos. Os condutores com a carta B, a partir de 2012 também tiveram acesso à possibilidade de conduzir veículos até 4250 kg de carga máxima.

Simplificando, a carta de condução para autocaravanas roadyng é a mesma que é exigida para conduzir um veiculo ligeiro, com a categoria B.

Lê também: Roteiro de Autocaravana pelo Norte de Portugal…

carta de condução para autocaravanas

Ok, já sabemos que carta é preciso para conduzir uma autocaravana, mas há mais coisas a ter em conta, seja no planeamento, seja durante a viagem.

Telemóveis & Pernoitas

Novas alterações no Código da Estrada foram discutidas pelo governo português e aprovadas em novembro, tendo entrado em vigor no dia 9 de janeiro do presente ano de 2021. O decreto-lei 102-B/2020, de acordo com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, tem por objetivo aumentar a segurança nas estradas para todos que dela usufruem.

O uso de telemóvel ao volante requer um cuidado redobrado, pois sabemos como a consulta do GPS ou uma chamada nos pode distrair. Para além do risco que representa, para nós e para terceiros, o aumento das coimas pode ser um incentivo para não cairmos em tentação. A multa pode variar de 250 a 1.250 euros bem como a perda de 3 pontos na carta de condução.

carta de condução para autocaravanas

Foram aprovadas também regras novas para o aparcamento e pernoita das autocaravanas, ficando estabelecida a proibição de estacionamento e pernoita fora dos locais autorizados. Contudo, o estacionamento mantém as mesmas regras em vigor antes da nova lei. Ficam responsáveis agora a GNR, a PSP, a Polícia Marítima e os municípios para atuarem fora das vias públicas e áreas protegidas em situações de pernoita, aparcamento e estacionamento de autocaravanas fora dos locais autorizados.

DICA ROADYNG: Na preparação para a nossa road trip, devemos incluir locais onde podemos pernoitar em segurança e verificcar os regulamentos existentes nas áreas que pretendemos visitar – cada câmara municipal é responsável pelos mesmos.

Lê também: Passeios para Fazer no Inverno, em Portugal: Top 3

Conduzir de tronco nú e de chinelos

Ao contrário daquilo para que os mitos urbanos apontam, a lei portuguesa não proíbe o uso de chinelos ou a condução em tronco nú. Há apenas o nº2 do artigo 11º que diz “Os condutores devem, durante a condução, abster-se da prática de quaisquer atos que sejam suscetíveis de prejudicar o exercício da condução com segurança.” Apesar de um pouco óbvio, espera-se que caso o condutor esteja a fazer uso de algum sapato, bota ou chinelo, que possa impedir o acesso ideal ao acelerador, deve optar por algo confortável. Em relação às roupas, se ocorrer algum impacto, qualquer camada de proteção extra é bem-vinda. Em resumo, a maior segurança é mesmo a prevenção e o bom senso.

Quando devemos parar para um café, ou simplesmente descansar

Em viagens longas, grandes distâncias e com muito a percorrer e a explorar, é expectável que dada altura o condutor se sinta cansado e que, como consequência, a nossa velocidade e capacidade de resposta aos estímulso se torne mais lenta. O cansaço também pode provovar visão turva, perda de noção da velocidade e até uma condução mais violenta, quando o corpo responde a esses sintomas elevando os níveis de stress. Os picos da sonolência aparecem mais durante a madrugada e nos horários após as refeições.

Se por um lado a lei nos diz que precisamos de carta de condução para autocaravanas, por outro, o bom senso diz-nos que devemos ouvir e respeitar o nosso corpo. É preciso estar atento aos seus sintomas para que, nos momentos em que o cansaço dá sinais, saibamos resistir à tentação de carregar no acelerador para encurtar distâncias. Não é apenas a nossa segurança e a do resto dos tripulantes que fica em risco, também a de terceiros, e a da nossa carteira, já que as multas por excesso de velocidade continuam entre as mais distribuídas. Os limites estabelecidos são de 120 km/hora em autoestradas e 100 km/hora em vias reservadas a automóveis desde que o veículo não exceda 3.500 kg. Dentro das cidades os limites podem variar, mas estarão sempre sinalizados.

de que carta preciso para conduzir uma autocaravana

Devemos procurar fracionar percursos longos, fazer paragens sempre que a fadiga ameaçar, e tentar evitar as estradas à noite. Manter o veículo arejado e refrescado, já que o calor e a humidade são indutores do sono. Há que despertar o DJ em nós! Confiar naquela playlist animada que faça querer cantar e sacudir um bocado o esqueleto e, claro, conversar com quem estiver disponível para manter as atividades cognitivas em bom funcionamento.

Se formos fumadores, vale lembrar que de acordo com o Artigo 79 do Código da Estrada, é proibido atirar qualquer tipo de objetos pela janela do automóvel. O risco de provocar um acidente ao atingir outro veículo, ou um transeunte a passar, é alto e a multa também, 300€. Se for uma beata de cigarro soma-se o perigo dos incêndios, e implica consequências demasiado graves para algo que pode ser facilmente evitado.

A segurança que praticamos enquanto condutores acaba por proteger-nos, aos que vão ao seu lado, e também a todos os que circulam na estrada. É por isso que o apelo não poderia ser diferente, para uma atitude responsável para que a estrada seja sempre um espaço de liberdade e prazer. Levemos estas dicas connosco, para que nossa viagem não seja senão boas recordações!